Indústria de base e transformadores: o papel do plástico no setor
Foto: adidas

Sabemos que a Feiplastic é a grande aliada da indústria de base e transformadores. Isso não só pelo fato do evento atrair a imensa gama de profissionais desse setor, mas também por consequência de que este mercado é pautado na transformação da matéria orgânica. O princípio do plástico, além de ter sua criação base em grandes laboratórios, também pode ter a trajetória final sempre renovada.

Afinal, como o plástico é criado?

O que sabemos é que ele não faz parte de um recurso natural. Sua criação é baseada em resultados de pesquisas e experimentos químicos, que teve início em meados de 1862 com a descoberta de um material orgânico derivado da celulose.

Desde o início do seu uso, o homem vem modificando e investindo no aperfeiçoamento da matéria. Isto é, ao longo dos anos descobrimos por exemplo as possibilidades de variação nas características de cada polímero. Até mesmo a produção em massa de plástico sustentável, e o mais legal: a inovação por parte da indústria de base e transformadores, que atua em prol também do meio ambiente.

Leia mais: Plástico: como essa indústria tem sido referência no mercado.

A busca por inovação dentro da indústria de base e transformadores

A inovação em produtos é o caminho para o crescimento. Segundo um estudo de mercado divulgado em 2018 pelo Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), através de uma iniciativa da Abiplast e da Braskem, 59,4% dos profissionais deste setor buscam por iniciativas que os ajudem a vender mais. Já 49,3% acreditam que inovar seus produtos é o caminho.

A ideia de investir em renovação tecnológica, por sua vez, principalmente na área de processos e equipamentos é o desejo da grande maioria dos empresários. O mercado e a concorrência, embora sejam seus principais desafios, são também seus impulsionadores. Até mesmo porque, se uma grande marca tem um lançamento inovador, a concorrência certamente irá pensar em algo ainda maior.

Os interesses, além disso, também são voltados à eficiência operacional, pensando no conceito de onde os produtos plásticos são obtidos. Seja na fusão das matérias primas e sua conformação em moldes ou matrizes, na extrusão de filmes para transformação de embalagens ou nas máquinas injetoras, a ideia é sempre melhorar suas práticas e reforçar os sentidos de inovação do setor.

O setor de reciclagem dos materiais plásticos

Partindo desses ideais, não há nada mais importante do que mencionar o setor de reciclagem também dentro da indústria de base e transformadores. Isto é, de alguma forma é possível que os produtos plásticos retornem à cadeia produtiva na forma de novos produtos.

Um exemplo é na criação de brinquedos. Se o fim do material é dado nas circunstâncias corretas de descarte, certamente as peças serão 100% reaproveitadas. Como é o caso da Ecobirdy, uma empresa na Bélgica que criou todo um sistema que vai da coleta e reciclagem de brinquedos plásticos antigos e não utilizados, até o design e a produção de móveis.

https://cdn-cv.r4you.co/wp-content/uploads/2019/06/ecoBirdy-moveis-brinquedos-ciclovivo-1024x825.jpg
Fonte: CicloVivo

Não obstante, há meios de descobertas que também vem possibilitando até mesmo a reciclagem de materiais descartados erroneamente. Sejam estes no meio ambiente ou mesmo sem a separação correta para a coleta dos lixos.

Um fato, inclusive, é nos dados sobre os lixos nos oceanos, que são sempre assustadores. Neste caso, empresas já se mostraram preocupadas e buscam alternativas para reverter o cenário. Como no caso da Adidas, que criou um novo modelo de calçado feito totalmente com plásticos retirados dos oceanos.

https://abrilcasa.files.wordpress.com/2019/04/adidas-placc81stico-oceano-2.jpg?quality=95&strip=info&w=960&h=720
Foto: adidas

A iniciativa surgiu de uma parceria com a Parley for the Oceans, uma instituição voltada à conscientização, preservação e limpeza dos oceanos. Só em 2018 já foram produzidos cerca de 5 milhões de pares. Sendo que, cada par usa o equivalente a onze garrafas pets retiradas dos mares.

Até aqui, sabemos a importância da indústria de base e transformadores para o plástico e em como a humanidade pode contribuir também para o início de um processo tecnológico e inovador, para cada vez mais atuarmos em prol de um mundo sustentável.

Por fim, continue acompanhando os canais oficias da Feiplastic para conhecer ainda mais sobre a indústria de base e transformadores e ficar por dentro das principais notícias e atualizações do mercado.

Comentários