A indústria de transformação e a reciclagem de materiais plásticos: tudo o que você precisa saber
Foto de Polina Tankilevitch no Pexels

A princípio, o plástico começou sua história substituindo materiais como marfim e madeira. Em 1909 iniciou o uso dos copos descartáveis, com objetivos de restringir a disseminação por conta do uso de xícaras comunitárias. Além disso, o material plástico pode ter rotas alternativas à petroquímica, tendo diferentes origens. E isso, é um pouco da maneira que iniciou a atuação da indústria de transformação e a reciclagem de materiais plásticos.

Existe, além disso, toda uma cadeia produtiva com as aplicações desse material. Sendo este desde o refino, até a 1ª geração com monômeros; a 2ª geração, com polímeros; a 3ª geração, de transformados plásticos e, por fim, o mercado consumidor e a 4ª geração, que amplifica os produtos com material reciclado.

Segundo a Abiplast, a produção de transformados plásticos no Brasil é destinada principalmente ao atendimento no mercado interno. Ainda, 5% do seu total é exportado para produção. Entre os principais setores consumidores da indústria de transformação e a reciclagem de materiais plásticos temos:

  • Construção Civil;
  • Alimentos;
  • Automóveis e autopeças;
  • Artigos de comércio em atacado e varejo;
  • Máquinas e equipamentos;
  • Produtos de metal;
  • Bebidas;
  • Móveis;
  • Papel, celulose e impressão;
  • Perfumaria, higiene e limpeza;
  • Eletrônicos;
  • Agricultura;
  • Químicos;
  • Têxteis e vestuário;
  • Farmacêutico;
  • Outros equipamentos de transporte.

Entendendo a cadeia produtiva e as aplicações do material na indústria de transformação e reciclagem de materiais plásticos

Gráfico retirado da Abiplast

Os processos de transformação do plástico

Além de atender a confecção de diversos produtos, conforme visto acima, os materiais plásticos passam por um longo processo de transformação. Entre os mais utilizados e de maior volume de produção mundial, temos:

Moldagem por injeção

O processo confere detalhes muito específicos aos produtos como rosca, furos e encaixes perfeitos. É utilizado principalmente na indústria de autopeças, em caso de painéis de carros. Também é possível encontra-lo na produção de produtor intermediários, que servem para a indústria automotiva e na produção de utilidades domésticas, destinadas ao consumidor final.

Extrusão

Consiste em forçar a passagem controlada do material plástico fundido através de um cilindro e na sua saída, o material é comprimido em uma matriz com a forma desejada do produto. No todo, se passa o processo de plastificação do material. Por meio dele são fabricados, por exemplo, chapas, que são insumos para a produção de embalagens termoformadas e acessórios de linha branca, como geladeiras e micro-ondas; perfis, que são usados para a fabricação de tubos, cabos revestidos, fios e mangueiras para a construção civil; filmes, que produz películas muito finas, mono e multicamadas que serão utilizadas para confecção de embalagens flexíveis; monofilamentos, que é a aplicação à linhas de pesca, cercas para escovas e vassouras, por exemplo; e, por fim, sopro, que implica na extrusão de uma mangueira comumente, esta chamada de parison, inserida em um molde para produção de um produto oco.

Rotomoldagem

Também utilizado para fabricação de produtos ocos, como peça de brinquedo (cabeças e partes de bonecas), ou peças de grandes dimensões como tanques para máquinas agrícolas e caixas d’água. Existem diversos modelos de máquinas para rotomoldagem, entre eles:

  • Shuttle – O modelo possibilita maior produtividade e utilização de mais de um molde, possibilitando que sejam feitos dois produtos diferentes;
  • Carrossel – Neste caso, a ação permite a produção de três ou quatro produtos iguais ou diferentes;
  • Rock in Roll – Ideal para produção de peças maiores, como caiaques, tanques e barcos;
  • Open Flame – Modelo no qual peças em formatos cilíndricos são feitas. Neste sentido é possível proporcionar um aquecimento mais homogêneo.

Transformação a vácuo

É o processo de moldagem de peças a partir de laminados ou chapas, isto é, obtidos por extrusão. Depende do aquecimento da chapa sendo submetida ao vácuo, o que elimina o ar existente entre o molde, permitindo a formação da peça final. Dessa técnica saem a fabricação de utensílios descartáveis, bandejas, autopeças, etc.

Outros processos

Outro caso conhecido é a variação utilizada para a fabricação dos frascos em PET, que é a injeção sopro. Aqui é combinado uma mesma máquina em dois processos de injeção (pré-forma) e sopro (frasco ou garrafa).

Características da indústria de reciclagem

Sob o mesmo ponto de vista, a indústria de reciclagem é atualmente o método de gerenciamento de resíduos ideal para evitar problemas como contaminação do solo, rio e ar. Os benefícios socioambientais da reciclagem de materiais plásticos a cada 1 tonelada de produto reciclado pode reduzir a emissão de 1,53 tonelada de Gases de Efeito Estufa na atmosfera; reduz 1,1 tonelada em média de resíduo plástico disposto em aterros, o que diminui a proliferação de microrganismos patológicos; garante a economia média de 75% de energia; são evitados 450l de água na produção e gera empregos de 3,16 catadores para recolher esse volume de material no mês.

Confira abaixo a cadeia produtiva do segmento de reciclagem de material plástico:

Foto: Abiplast

Acima de tudo, identificar as embalagens de produtos para a realização do processo de reciclagem é mais simples do que se imagina. Todo o plástico, seja ele transformado ou vindo da indústria de base, possui o símbolo de identificação abaixo:

Faça a sua parte e separe corretamente seus resíduos recicláveis e os encaminhe para a coleta seletiva. Assim, é possível colaborar com a sustentabilidade, e permitir que a indústria de transformação siga atuando em prol do mercado.

Leia mais: Reciclagem de plásticos: como se dá e no que se transformam?

Continue acompanhando a Feiplastic para mais conteúdos sobre o setor.

Comentários