Embalagens plásticas descartáveis e seu uso

0
80
Embalagens plásticas descartáveis e seu uso
Foto: Unsplash

O uso de embalagens plásticas descartáveis é crescente em todos os setores, em principal nos mercados de alimentos & bebidas. O panorama se instala principalmente nessa área por consequência dos meios de armazenamento e, agora, no cenário de pandemia que enfrentamos por consequência do coronavírus, no qual as empresas optaram por entregas via delivery.

Cerca de 55% dos estabelecimentos trabalham somente por meio deste tipo de serviço, segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). O comportamento resultou no aumento da demanda por embalagens plásticas descartáveis, no qual se utiliza de pratos, talheres, copos e embalagens de marmita não reutilizáveis.

Inclusive, segundo a Abiplast, as embalagens de isopor também utilizadas como montagem de marmitas, são as mais vendidas. Sem contar que essa versão mantém a temperatura do alimento. O cenário mostrou um desempenho positivo não só para o mercado de embalagens, como também para a preservação ambiental, consumidores finais e, por fim, para a economia do país.

Leia mais em: Procura por embalagens plásticas não reutilizáveis aumenta durante pandemia da Covid-19 em Uberlândia

Embalagens plásticas descartáveis em números

Dentro do universo das embalagens, as plásticas flexíveis se destacaram, uma vez que sejam utilizadas em itens que têm sido mais utilizados, por exemplo: cestas básicas e produtos de higiene, como álcool em gel.

Confira abaixo o estudo realizado pela Maxiquim, com exclusividade para a Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (ABIEF):

Produção de embalagens flexíveis
 PEBD & PEBOLPEADPPTotal
Produção (mil ton) 4T 193515573479
Produção (mil ton) 1T 203545776487
Variação 1T 20/4T 190,8%3,6%3,7%1,6%
Desempenho mercado de embalagens flexíveis
 ProduçãoConsumo aparenteImportaçãoExportação
Total (mil ton)4874741527
Variação 1T 20/4T 191,6%1,3%-1%5%

Ainda segundo a Associação, alimentos como arroz, feijão, macarrão e molhos registraram alta de consumo diante do número de refeições feitas em casa. O estudo também aponta um aumento na produção de embalagens plásticas descartáveis de 1,6% se comparado a 2019.

Os números se mostram importantes tanto para demonstrar o potencial do setor, quanto para análises de desenvolvimento social e econômico.

Benefícios de utilizar embalagens plásticas descartáveis

Sabemos que, quanto melhor for a conservação dos alimentos, menor é a sua perda e as chances de desperdício. E as embalagens plásticas descartáveis proporcionam exatamente isso: conservação.

Afinal, a utilização das resinas plásticas petroquímicas na fabricação de embalagens colabora na barreira de gases, óleos, vapor de água e aromas. Dessa maneira é possível garantir a proteção do produto, seja no transporte, distribuição ou mesmo na estocagem.

O meio também garante além de qualidade, a chance de barrar contaminação do alimento por doenças como fungos e bactérias. Somando tudo isso, concluímos que o aumento do seu uso colabora para os meios econômicos, sociais e ambientais. Mesmo porque o seu descarte pode e deve ser destinado para a reciclagem, de forma a ampliar e apoiar as iniciativas de economia circular.

Leia mais em: Embalagens plásticas e indústria B2B: novos formatos de reciclagem a partir de 2020

Quer mais conteúdos como este? Siga as redes sociais da Feiplastic e acompanhe diariamente as notícias do setor de plástico.

Comentários