Reciclagem química promete plástico 100% reaproveitável

Por Mara Gama, divulgado originalmente em UOL

Uma nova certificação de processo de reciclagem química pode impulsionar o uso de embalagens flexíveis e filmes pós consumo na produção de novos plásticos no país.

Reciclagem química promete plástico 100% reaproveitável
Planta da Braskem em Triunfo (RS) – Foto reprodução

O processo traz ao menos três vantagens para o meio ambiente: diminui a extração e o uso do nafta, o principal insumo petroquímico; absorve resíduos de difícil reciclagem mecânica e resulta em resina de qualidade compatível com controles sanitários, para usos até na indústria alimentícia. A promessa é de tornar o plástico 100% reciclável, a exemplo do vidro e do alumínio, com material reciclado com as mesmas qualidades do original. Reciclagem infinita.

Leia também: Plástico-filme que inativa coronavírus é a nova aposta para proteger superfícies

A Braskem recebeu em fevereiro o primeiro selo brasileiro do ISCC Plus, Certificação Internacional de Sustentabilidade e Carbono, para a utilização de matéria-prima alternativa como o óleo de pirólise – processo químico que quebra as moléculas das resinas termoplásticas a partir do calor – para transformação em resina novamente.

A empresa já tinha o selo para a produção do polietileno feito a partir do etanol da cana-de-açúcar, o I’m green bio-based.

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions. Para continuar lendo sobre os feitos da reciclagem química, visite o site UOL e confira a matéria completa.